• endereço Cascavel - PR
  • email executivo@regna-ventures.com.br
  • contato (45) 9 8422-7656

Deus é Inovador?

Deus é Inovador?



A primeira declaração que lemos na Bíblia Sagrada é "No princípio criou Deus o céu e a terra." (Gênesis 1.1), evidenciando a capacidade de criação de Deus. Deus era criativo, e pessoas criativas têm a capacidade de pensar fora da caixa, de pensar no incomum ou naquilo que ninguém pensou. Somos semelhantes a Deus nesta capacidade, pois Ele mesmo também declarou que somos feitos a sua imagem e semelhança (Gênesis 1.26), contudo...


Criatividade é o mesmo que inovação?


Não! se assim fosse, empresas com várias pessoas criativas seriam inovadoras mas não vemos isso acontecendo na prática. Pensemos em um circo: várias pessoas criativas pensando em novos espetáculos o tempo todo, mas nem todos são inovadores (obtém grandes resultados e caem no gosto da população) pelo contrário, vemos apenas um circo "fora da curva" (Cirque Du Soleil).


Isso nos ensina que administrar ou gerir boas ideias não é sinônimo de inovação, é necessário mais do que isso: é necessário transformar as ideias em execução e, para isso, é necessário gerenciamentomuitas ideias sem a capacidade de gerenciamento das ideias podem até prejudicar a empresa e tornar o negócio um caos. Convenhamos que esse é um dos grandes problemas da inovação: confundir criatividade com inovação.  bons CASES na 3M que não tenta transformar seus cientistas e pesquisadores em gerentes e nem seus gerentes em criativos pesquisadores, pelo contrário, todos tem o seu papel essencial para fazer a inovação funcionar, do jeito em que foi criado. A IBM atribui à parte de seus funcionários talentosos o papel de transformar as ideias em novas unidades de negócios lucrativas e não de proteger os negócios já amadurecidos da companhia.


A inovação requer pessoas criativas sim, mas também bons gerentes para definir objetivos claros para a inovação, fixando estratégias, estabelecendo quais são os recursos e os riscos, alocando responsabilidades e, ainda, delimitando os processos de inovação.

Há várias empresas que confundem criatividade com inovação, incentivam as pessoas a proporem novas ideias (como Caixas de Sugestões) e, devido a falta de regras claras (papel a ser feito pela empresa) acerca do que fazer com elas, as pessoas criativas caem no desgosto e deixam de pensar em soluções para empresa. Estimulá-las novamente, será muito mais difícil na próxima vez!

Eis que tudo se fez novo!


Um dos apóstolos de Cristo (Paulo) declara: assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (2 Coríntios 5:17). Aqui ele se refere à respeito da mudança de vida que ocorre na vida de pessoas que decidem se sujeitar à Ele e suas ordenanças. Ele promete uma vida nova, um novo estilo de vida que remove crenças limitantes e barreiras que antes impediam pessoas de cumprirem seu propósito e serem ainda melhores. Vemos diversos CASES em vários CPFs por aí e declaro que sou um deles. O argumento então que Deus é inovador reside no fato de que desde uma experiência com Ele, mudanças ocorrem e essas mudanças levam a novos resultados, cada vez melhores. Assim, quando há a inserção de uma mudança significativa em um produto, serviço, método de fabricação (processo) ou mudança no posicionamento da empresa ou marca na mente do consumidor (inovação em marketing ou modelo de negócios) e nisso há resultados positivos, temos um exemplo claro de inovação. Logo, Inovação = Criatividade + Resultados. O Senhor é um Deus de resultados.


É preciso parar, pensar a respeito do que fazemos e em seguida mudar.


As empresas devem funcionar de modo eficiente todos os dias a fim de permanecerem lucrativas e gerar constantemente fluxo de caixa, enquanto isso, se antecipando a um futuro incerto, deve inovar a fim de manter-se à frente da mudança e preservar sua posição no mercado. Isso parece contraditório, afinal de contas é muito difícil pensar em como fazer as coisas de maneira diferente enquanto elas estão sendo executadas. Logo, na vida ou nos negócios, o trabalho a ser feito não é mudar o que se faz, mas fazer direito, com algum propósito.

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Observamos essa declaração em Romanos 8:28, afirmando que as coisas dão bons resultados, se cooperarmos para o propósito que o Deus inovador e criador tem a nosso respeito.


Um novo céu e um nova terra


Essa declaração é feita em Apocalipse (capítulo 21) sobre uma visão que um de seus apóstolo, João, tem sobre o futuro. A despeito do benefício vindouro como promessa aos seus é interessante verificarmos que Deus promete tudo novo, de novo! Assim fez no início, na criação do mundo, nos tempos de Noé, na vinda de Seu filho e continua prometendo em sua Palavra que ele tem a capacidade fazer novo sempre. Aliás vejamos o clichê das startups sob a ótica de Deus, que intitulo aqui de INOVADOR: Pensar grande, começar pequeno e agir rápido.

Quando Ele envia seu filho sobre a terra estava predisposto a quebrar barreiras e paradigmas, observamos aí uma grande inovação: Algo eterno se fazer como homem (efêmero) e nascer do ventre de uma mulher comum. Mas há aí algo maior: o propósito inicial era atingir o mundo todo, isto é, pensar grande, ser repetível e escalável. Começar pequeno, apenas com 12 homens foi o suficiente para causar um grande impacto na história mundial e cumprir todo o plano em apenas alguns anos ordenando e chamando alguns para o seguirem.


A igreja ou a sua mensagem foi pensada de maneira grande (com propósito eterno), começou apenas com 12 homens e atingiu o mundo o mundo todo (repetível e escalável)


Será que foi Deus quem criou o mindset das startups?


Carlos Alberto Schulze

Consultor em Inovação e Executivo da Regna-Ventures

https://schulzeinovacao.com.br

Voltar Todos artigos